Meu humor


Arquivos

    Categorias
    Todas as mensagens
     Evento
     saiu na mídia

    Outros links
     Maternidade São Luiz
     Cryopraxis
     Madres con Ruedas
     Na Luta
     ASSIM COMO VOCÊ
     Tocando as rodas
     Mão na Roda
     Agencia Inclusive
     Mobility Brasil
     Lilla Ka
     Flávia Cintra
    Contato




    Memórias de uma mãe cadeirante
     


    A origem do Dia dos Namorados

    Já que falei, do meu jeito, de futebol... resolvi não ignorar o Dias dos Namorados.

    O padre Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.Além de continuar celebrando casamentos, ele casou-se secretamente, apesar da proibição do imperador. Tendo se recusado a renunciar ao Cristianismo, Valentim foi condenado à morte. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão.

    Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado”. Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festas anuais celebradas na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimônio) e de Pã (deus da natureza).  Outra versão diz que no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim. Adata foi adotada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o Valantine´s Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta da amada.

    No Brasil, é comemorado em 12 de junho desde 1949, quando o publicitário João Dória trouxe a idéia do exterior e a apresentou aos comerciantes. Como junho é um mês de vendas baixas, eles decidiram comemorar a data nesse mês e ainda escolheram a véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro como o Dia dos Namorados. Vale mais a pena esquecer a origem comercial e ficar com o significado afetivo do dia. E se voce quer se emocionar com lindas histórias de amor, não deixe de visitar o http://assimcomovoce.folha.blog.uol.com.br. Nessa semana, o Jairo nos emociona com histórias de amor do mundo real, simples, sinceras e sem limites – como é o verdadeiro amor.



    Escrito por Flavia Cintra às 21h31
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Feel the game

    Só se fala em Dia dos Namorados e em Copa do Mundo!

    Como meu lado romântico tem sido alimentado por muitas caixas de BIS e não entendo nada de futebol, vai ficar difícil mergulhar nos assuntos do momento. Porém, nesse vídeo eu encontrei um ponto de inspiração e emoção, na paixão que Nick Vujicic sente pelo futebol e pela vida. Aproveite!



    Escrito por Flavia Cintra às 12h50
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    3a primavera

    Adoro dar presentes, elogiar, fazer coisas para os outros. Mais que receber. Alias, quando recebo, geralmente não sei reagir, fico sem graça. Por dentro, me sinto grata, só que tenho dificuldade de expressar. Meu prazer está em fazer para o outro. E curto todos os momentos. A alegria da festa começa no momento em que se decide fazê-la, se estica durante os preparativos e termina só semanas depois, vendo as fotos e lembrando de cada instante.

    Mateus e Mariana vão completar 3 anos. Temos muito para comemorar e agradecer. Eu me sinto a pessoa mais sortuda do mundo por ser mãe deles e crescer em cada nova brincadeira, cada pergunta, cada descoberta, cada risada, cada desafio superado pelos meus pequenos. Me impressiono a toda hora com as coisas que eles fazem, vendo que não são mais bebês... passou tão rápido! Outro dia saímos para jantar. Fiquei encantada com o comportamento exemplar da dupla à mesa, pedindo “por favor” e agradecendo o garçon, comendo sozinhos e de garfo, participando da conversa com comentários inteligentes e engraçados. Não é apenas coisa de mãe coruja (eu assumo que sou!), todo mundo reparava!

    O 3º ano, segundo a pediatra, marca a passagem de” bebê” para “criança”. Já fazem xixi no banheiro, tomam leite no copo. A mamadeira, assim como a chupeta, ainda está presente de noite, mas em breve... nem isso. Também estão prontos para deixar de dormir nos berços e terem camas comuns. Estou pesquisando as grades de segurança e descobri que existem tantos modelos que é impossível escolher pela internet. Vou ter mesmo que visitar algumas lojas. Mãos à obra!



    Escrito por Flavia Cintra às 11h42
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Friiiiiio...

    Essa foi a matéria exibida no último domingo. O assunto está tão atual que ela ainda vale para essa semana! Temos tido um dia mais gelado que o outro, que horror! A parte boa é que o frio que eu passei semana passada para fazer essas entrevistas me deu créditos para trabalhar quentinha nessa semana.

    Com a Copa do Mundo, boa parte do programa passa a ser ocupada pelo futebol. Como até hoje eu não entendi direito nem essa história de gol impedido, poderei contribuir pouco. Eu e os demais jornalistas que não estão focados na Copa, não estaremos presentes no programa todos os domingos. Será ótimo aproveitar essa fase para trabalhar em reportagens que não conseguimos fazer na rotina semanal. Isso me deixou muito entusiasmada. E também terei mais tempo para interagir aqui no blog. Bacana, né? 



    Escrito por Flavia Cintra às 10h47
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Tô viva!

    Mas, congelando nesse frio polar de São Paulo.

    Prometo me esforçar para ser mais assídua nessa semana.

    Vocês viram a coluna do Jairo na Folha de hoje? Arrasou, como sempre...



    Escrito por Flavia Cintra às 22h35
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]