Meu humor


Arquivos

    Categorias
    Todas as mensagens
     Evento
     saiu na mídia

    Outros links
     Maternidade São Luiz
     Cryopraxis
     Madres con Ruedas
     Na Luta
     ASSIM COMO VOCÊ
     Tocando as rodas
     Mão na Roda
     Agencia Inclusive
     Mobility Brasil
     Lilla Ka
     Flávia Cintra
    Contato




    Memórias de uma mãe cadeirante
     


    Telefonema da mãe pode valer tanto quanto um abraço

    Uma pesquisa do Departamento de Biologia da Universidade de Wisconsin revelou que o cérebro da criança reage da mesma maneira quando recebe um abraço ou um telefonema da mãe.

    No estudo, meninas de 7 a 12 anos foram submetidas a situações de estresse e tiveram que resolver questões de matemática e falar em público inesperadamente. Elas foram divididas em três grupos: no primeiro, a mãe apareceu pessoalmente para dar um abraço; no segundo, a mãe apenas telefonou e perguntou o que tinha acontecido; já no terceiro grupo, as meninas assistiram a um filme infantil.

    As meninas que receberam um telefonema e as que receberam um abraço da mãe tiveram a mesma reação: aumento do nível de ocitocina, conhecida como o hormônio do amor. As meninas que viram o filme não liberaram este hormônio.



    Escrito por Flavia Cintra às 10h06
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Ética e solidariedade

    Mateus resolveu tirar uma soneca e eu havia prometido que daria paçocas para eles depois do almoço. Esse doce é o hit do momento aqui em casa, mas como sou “durona” na alimentação deles, só dou de vez em quando. Então, Mariana cobrou: "mamãe, você não vai me dar a paçoca?"

    Entreguei o doce à pequena, ela comeu e pediu outro. Eu respondi “só tem mais uma!”. Ela parou, pensou e respondeu: “então, eu não quero... guarda para quando o Mateus acordar”.

    Ética. Foi isso que vi na atitude da minha filha. Pensou que se só tinha mais uma paçoca, não era certo deixar o irmão sem nenhuma, mesmo estando ele dormindo. Fiquei emocionada e muito orgulhosa dela. E expliquei que ela poderia comer seu 2º doce, pois havia outros dois guardados para o Mateus.

    Temos muito a aprender com as crianças. Nesse vídeo,  fiquei comovida com a sensível ilustração de solidariedade.

    Por que o ser humano muda tanto depois que cresce, heim?



    Escrito por Flavia Cintra às 17h40
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]